Reflexão para o 1º Domingo do Advento

“Portanto, ficai atentos!”

Com o Tempo do Advento a Igreja vive o seu “ano novo”, um novo Ano Litúrgico. O Tempo do Advento tem um sentido muito profundo e importante para a vida da Igreja, faz-nos contemplar as duas vindas do Senhor Jesus: a primeira vinda já aconteceu quando, na plenitude dos tempos, Ele tomou nossa humilde e frágil condição humana e se fez um de nós; a segunda vinda estamos aguardando, pois Ele nos prometeu, que virá ainda uma segunda vez para julgar os vivos e os mortos.

O cristão não deve ser aquele que vive de forma despreocupada, deixando a vida passar sem nenhuma atitude, fazendo como diz a música: “deixa a vida me levar”. O cristão deve estar diariamente preparado para o encontro com o Senhor e esta preparação passa pela
oração, pela prática dos sacramentos e pela prática da caridade. O mundo presente não vive com esta preocupação, é um mundo sem perspectivas, sem um futuro concreto e nas ondas deste mundo presente somos tentados a viver.

Somos cristãos e cristãs, batizados e assim membros da Igreja, mas na maioria das vezes, não vivemos como cristãos, atentos ao Senhor, vivemos de acordo com o mundo, deixando a vida nos levar e na maioria das vezes não estamos sendo levados para um bom lugar. Entretanto, esta atenção, esta vigilância não quer dizer que não devemos deixar de viver, de aproveitar esta nossa vida, mas é que o sinônimo de “aproveitar” a vida em nossos tempos é se entregar a todo
tipo de vício (sexo, bebidas, drogas), a todo tipo de aventura ilícita e descabida para um verdadeiro ser humano; o sinônimo de “aproveitar” a vida é uma caricatura de ser humano, o mundo não nos indica como realmente devemos aproveitar a vida.

“Portanto, ficai atentos!” Não podemos servir a dois senhores, não podemos ser do mundo e ser de Deus, estamos no mundo, mas não somos deste mundo, se fôssemos deste mundo não morreríamos, ficaríamos aqui para sempre, mas não somos deste mundo, portanto, viver de acordo com as perversidades deste mundo não nos traz  verdadeira realização, não nos traz
felicidade e viver aqui e não ser feliz é uma lástima, algo bastante terrível, frustrante.

Fiquemos atentos ao bem que devemos fazer, ao Deus que devemos seguir. Ele, Deus, não nos tira nada, mas nos dá tudo. Apenas Ele pode nos conduzir à verdadeira felicidade. Meus irmãos e irmãs, saibamos aproveitar o mundo em que vivemos, a sabendo que além das alegrias e realizações teremos que suportar dores e sofrimentos e quando sabemos realmente aproveitar o
mundo, nenhum sofrimento, nenhuma dor irá nos tirar nossa alegria, pois depositamos nossa alegria e  no Senhor e não nas coisas deste mundo.

Que a esperança deste Advento nos permita ter um verdadeiro encontro com o Senhor, esta é a nossa esperança, este é o motivo da nossa vigilância, este é o nosso Natal.

Pe. Fábio Carlos de Araújo
Paróquia Santo Antônio – Damolândia

Ir para o topo