Segunda-feira (Deus criador)

Pai Nosso…, Ave Maria…

Salmo 138 (139) [v.1-12]
Senhor, tu sondas e me conheces.
Tu conheces o meu sentar e o meu levantar,
de longe penetras o meu pensamento.
Examinas o meu andar e o meu deitar,
meus caminhos todos são familiares a ti.
A palavra ainda não me chegou à língua,
e tu, Senhor, a conheces inteira.
Tu me envolves por detrás e pela frente
e sobre mim colocas a tua mão.
É um saber maravilhoso que me ultrapassa,
é alto demais: não posso atingi-lo!
Para onde irei, longe do teu sopro?
Para onde fugirei, longe da tua presença?
Se subo ao céu, tu aí estás.
Se me deito no abismo, aí te encontro.
Se levanto vôo para as margens da aurora,
se emigro para os confins do mar,
aí me alcançará tua esquerda,
e tua direita me sustentará.
Se eu digo: “Ao menos as trevas me cubram,
e a luz se transforme em noite ao meu redor”,
mesmo as trevas não são trevas para ti,
e a noite é clara como o dia.

Momento de reflexão (J 17,6-8; 25-26)
Eu manifestei o Teu nome aos homens que me deste do meio do mundo. Eles eram Teus e Tu os deste a mim, e eles guardaram a Tua palavra. Agora eles conhecem que tudo o que me deste provém de Ti, e que as palavras que eu lhes dei são aquelas que Tu me deste. Eles as receberam e conheceram verdadeiramente que eu saí de junto de Ti, e acreditaram que Tu me enviaste. Pai justo, o mundo não te reconheceu, mas eu Ti reconheci. Estes também reconheceram que Tu me enviaste. E eu tornei o Teu nome conhecido para eles. E continuarei a torná-lo conhecido, para que o amor com que me amaste esteja neles, e eu mesmo esteja neles.

Oração
Agradecemos-te, Pai Nosso, pela vida e pelo conhecimento que nos deste – por Jesus Teu Filho querido. Glória a Ti, por todos os séculos!
Assim como este pão, que agora partimos, foi outrora espalhado, em forma de grão de trigo, pelos campos e pelas colinas, e foi recolhido para formar um só pão, assim também a Igreja das extremidades da terra em Teu Reino. Agradecemos-te, Pai Santo, pelo teu santo nome, conservado em nossos corações, pela fé e pela imortalidade que nos deste – por Jesus, Teu Filho querido.
Tu, Senhor Todo-Poderoso, criaste o universo para Teu louvor e deste aos homens alimento e bebida para que, recebendo-os com alegria, te rendam graças. Mas Tu nos gratificaste também com um alimento e uma bebida espirituais, para a vida eterna, – por Jesus, Teu Filho querido.
Lembra-te, Senhor, de libertar a Tua Igreja de todo o mal e de aperfeiçoá-la no amor. Reuni a Igreja que santificaste, agora dispersa aos quatro ventos, no Reino que lhe preparaste, pois de Ti é o poder e a glória para sempre. Amém.

(do Didaqué)

Em Tuas mãos, Senhor, entrego o meu espírito.

Santo Anjo do Senhor…


 

Ir para o topo