Pastoral Familiar Regional reflete sobre discipulado e missionariedade

 

“Discipulado e missionariedade do Agente da Pastoral Familiar”. Esse foi o tema do Retiro Espiritual da Pastoral Familiar do Regional Centro-Oeste da CNBB (Goiás e Distrito Federal), que aconteceu no dia 2 de fevereiro, na Cúria Diocesana de Anápolis, e reuniu 110 participantes, agentes da Pastoral Familiar de dez das 12 dioceses do regional.

O retiro foi orientado pelo padre Alexandre Pedroso Arantes, do município de Aruanã, na Diocese de Rubiataba/Mozarlândia. Em suas reflexões, ele apresentou a Carta de São Paulo aos Efésios. “No texto, observamos pontos importantes que confirmam quem é o discípulo missionário, qual seu papel e missão no mundo”, pontuou. Segundo o padre, essa leitura também apresenta muitos conceitos morais, essenciais para os cristãos.

Padre Cleber Matos, assessor eclesiástico da Pastoral Familiar Regional, salientou que a temática deste ano possibilitou a cada agente o encontro pessoal com Deus para se alimentar, ter um momento de espiritualidade para depois se lançar nos trabalhos pastorais. “Vivemos uma realidade de intensa necessidade de as pessoas estarem aos pés de Cristo. Muitas vezes, esquecemos, quando partimos em missão, que é preciso retornar ao Senhor para refazer as forças e nos capacitar para que possamos estar em missão”, justificou.

O bispo auxiliar de Goiânia e referencial para a Pastoral Familiar Regional, Dom Moacir Silva Arantes, também participou do evento e declarou que o tema trabalhado é indispensável para os agentes, uma vez que Cristo é o mestre, aquele que segue na frente e conduz a missão. “Como as demais pastorais, a Pastoral Familiar se compõe de fiéis que fizeram sua experiência de Cristo. É formada de pessoas que, passando pelo Batismo, assumiram uma vida nova e, recebendo a confirmação, assumiram também uma missão. Por isso, não há como servir a Deus se não for discípulo, no sentido de caminhar atrás de Jesus, pois ele é o mestre, o autor da fé, a nossa referência e, uma vez que somos discípulos fiéis, nós nos tornamos missionários, isto é, enviados por ele.”

A proposta é que a temática trabalhada no retiro anual se multiplique nas dioceses. Edmar Amaral e sua esposa, Euza Gomes Gonçalves, da Paróquia Santo Antônio das Grimpas, em Hidrolândia, querem fazer essa reflexão chegar às comunidades de sua paróquia. “Já participamos de outros retiros e é sempre muito importante os temas trabalhados em cada uma. Esta, por exemplo, nos prepara muito para a missão neste novo ano que estamos iniciando e nós queremos transmitir esse conteúdo em nossa paróquia”, disse Edmar. Darciene Barros Leão Sirino e Roberto Marinho Sirino, da Diocese de Ipameri, refletiram sobre a própria missão confiada a eles, a partir do tema desenvolvido sobre discipulado e missionariedade. “É um momento importante para nós reabastecermos as energias para o ano que começa e pensar no nosso papel de discípulos e missionários; é uma oportunidade de crescimento, de reflexão e de levar à nossa diocese tudo aquilo que aprendemos aqui”, comentou Darciene.

Fonte / foto: Regional Centro-Oeste, CNBB

Ir para o topo