Memória dos santos – sua intercessão

Os santos intercedem por nós: não é verdade que depois da morte eles ficam dormindo até a Ressurreição (mentalidade protestante). Hb 9,27 diz que “está determinado que os homens morram uma só vez, e logo em seguida vem o juízo”. E com o juízo particular, vem prêmio (céu) ou castigo (inferno). Depois, no juízo universal (cf. Mt 25,31-46), apareceremos diante de Deus com os nossos corpos e será ratificada a sentença que já tínhamos recebido anteriormente, só que agora com todo o caudal de bens ou de males que durante o curso da história os nossos atos produziram.

Jesus disse ao bom ladrão: “em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso” (Lc 23,43). O texto grego não põe vírgula nem dois pontos entre as palavras “hoje estarás comigo no paraíso”, veja: sémeron met’ emou em tõ paradeiso. O grego tem uma vírgula logo após “em verdade vos digo,”; em português costumamos colocar dois pontos, como se pode ver no texto acima. É bom falar da falta de vírgula ou dos dois pontos no texto original porque alguns protestantes querem entender essa passagem da seguinte maneira: “eu te digo hoje: estarás comigo no paraíso”. Tal interpretação é falsa, não está de acordo com a língua do Novo Testamento, que é o grego. O latim da Neovulgata traduz corretamente o texto grego: “Hodie mecum eris in paradiso”, isto é, “hoje estarás comigo no paraíso”.

O livro do Apocalipse tem duas passagens que são altamente significativas para o nosso propósito: “quando abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos homens imolados por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho de eram depositários” (Ap 6,9); eles clamavam justiça (cf. Ap 6,10). A outra passagem apresenta o incenso e a oração dos santos sendo oferecidas a Deus: “a fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus” (Ap 8,4).

No Antigo Testamento, Eliseu fez milagres até depois da morte: quando um grupo de pessoas ia enterrar um homem, jogaram-no no túmulo de Eliseu e “o morto, ao tocar os ossos de Eliseu, voltou à vida, e pôs-se em pé” (2 Re 13,20-21). Por quê? Porque Deus queria manifestar a sua glória através de Eliseu mesmo depois de sua morte. Também os vivos, homens e mulheres que amam muito a Deus, intercedem por nós: o livro dos Atos dos Apóstolos narra que “Deus fazia milagres extraordinários por intermédio de Paulo, de modo que lenços e outros panos que tinham tocado o seu corpo eram levados aos enfermos; e afastavam-se deles as doenças e retiravam-se os espíritos malignos” (At 19,11-12). Em suma, os santos intercedem por nós!

Pe. Dr. Françoá Costa

Ir para o topo