ACN promove nesta quinta-feira “Terço das Crianças pela Paz Mundial”

 

“A oração é o alimento dos fiéis, que fortifica os mais frágeis e expressa a fé dos cristãos”. A frase é do Assistente Eclesiástico da Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) – Brasil, Frei Rogério Lima, diante da campanha “Um Milhão de Crianças Rezam o Terço pela Paz”, realizada nesta quinta-feira, 18. “Temos presenciado verdadeiras conquistas e não há explicação plausível a não ser pela força que a oração possui”, apontou.

A campanha do Terço das Crianças pela Paz Mundial foi iniciada em 2005, em Caracas, capital da Venezuela, numa iniciativa espontânea da comunidade local, quando ocasionalmente várias crianças rezavam o terço em um santuário local. A iniciativa rapidamente se espalhou pelo mundo e recebeu, em 2008, o apoio da ACN que assumiu posteriormente a organização da campanha de oração. No Brasil, a campanha teve início no ano passado.

O dia 18 de outubro é a data fixa do terço. O motivo, explica Frei Rogério, seria porque outubro é tradicionalmente o mês do Rosário, e o dia 18 é a festa de São Lucas, o evangelista. “São Lucas nos conta a história da infância de Jesus e, de acordo com a tradição, São Lucas foi muito próximo de Nossa Senhora, a Mãe de Deus. Assim sendo, a data é bastante apropriada”, comentou.

A frase do Santo Padre Pio, “quando um milhão de crianças rezarem o terço, o mundo mudará”, foi e continua sendo, de acordo com o Assistente Eclesiástico da ACN, a inspiração para a campanha de oração. “A frase é a essência da campanha”, comentou. A campanha de oração reforça ainda mais a devoção das crianças, explicou Frei Rogério.

“Na visão da ACN, as crianças são muito mais abertas ao terço do que muitos adultos. Quando o terço é rezado corretamente e guiado apropriadamente, ele nos dá uma visão, uma compreensão da Virgem Maria que fica cada vez maior quanto mais você reza o terço. E esta visão íntima, próxima de Nossa Senhora, é algo que nós podemos aprender com as crianças”, frisou.

A campanha global será realizada em paróquias, escolas, creches, jardins de infância, no lar de muitas famílias e em grupos comunitários. A ACN preparou e distribuiu materiais para a campanha em 25 idiomas, incluindo, o árabe ou o hauçá, língua da África Ocidental. É esperada a participação de crianças de cerca de 80 países e em todos os continentes. “Aqui no Brasil, centenas de paróquias e comunidades pediram o material da campanha”, contou Frei Rogério. Segundo ele, o feedback da campanha é enviado à ACN, por países como Argentina, Cuba, Camarões, Índia e Filipinas. “É verdadeiramente uma campanha mundial da Igreja”, frisou.

 

Fonte: Canção Nova

Ir para o topo